quarta-feira, 16 de junho de 2010

Maria Montessori



Maria Montessori
(1870-1952)

Educação pelos sentidos e pelo movimento.

Foi na Itália que nasceu este exemplo de pessoa humana.
Desde menina manifestou interesse pelas matérias científicas, principalmente matemática e bliologia, resultando em conflito com seus pais, que possuíam o desejo que ela seguisse a carreira de professora.

Indo contra expectativas familiares, formou-se em medicina, iniciando um trabalho com crianças com necessidades especiais na clínica da universidade, vindo posteriormente dedicar-se a experimentar em crianças sem problemas os procedimentos usados na educação dos não normais.

Observou também, crianças que ficavam brincando nas ruas e criou um espaço educacional a estas crianças.

A pedagogia montessoriana relaciona-se à normatização (consiste em harmonizar a interação de forças corporais e espirituais, corpo, inteligência e vontade).

As escolas do Sistema Montessoriano são difundidas pelo mundo todo.

O método montessoriano tem por objetivo a educação da vontade e da atenção, com o qual a criança tem liberdade de escolher o material a ser utilizado, alem de proporcionar a cooperação.


Os princípios fundamentais do sistema Montessori são: a atividade, a individualidade e a liberdade, enfatizando os aspectos biológicos, pois, considerando que a vida é envolvimento, achava que era função da educação favorecer esse desenvolvimento. Os estímulos externos formariam o espírito da criança, precisando, portanto, ser determinados.

Assim, na sala de aula, a criança era livre para agir sobre os objetos sujeitos à sua ação, mas estes já estavam preestabelecidos, como os conjuntos de jogos e outros materiais que desenvolveu. A pedagogia de Montessori insere-se no movimento das Escolas Novas, uma oposição aos métodos tradicionais que não respeitavam as necessidades e os mecanismos evolutivos do desenvolvimento da criança.

Ocupa um papel de destaque neste movimento pelas novas técnicas que apresentou para os jardins-de-infância e para as primeiras séries do ensino formal.

O material criado por Montessori pressupõe a compreensão das coisas a partir delas mesmas, tendo como função estimular e desenvolver na criança um impulso interior que se manifesta no trabalho espontâneo do intelecto.

Produziu uma série de cinco grupos de materiais didáticos:
 Exercícios para a vida cotidiana
 Material sensorial
 Material de linguagem
 Material de matemática
 Material de ciências

Estes materiais se constituem de peças sólidas de diversos tamanhos e formas: caixas para abrir, fechar e encaixar; botões para abotoar; série de cores, de tamanhos, de formas e espessuras diferentes. Coleções de superfícies de diferentes texturas e campainhas com diferentes sons.
O Material Dourado baseia-se nas regras do sistema de numeração, inclusive para o trabalho com múltiplos, sendo confeccionado em madeira. O material é composto por cubos, placas, barras e cubinhos. O cubo é formado por dez placas, a placa por dez barras e a barra por dez cubinhos.
Este material é de grande importância na numeração, facilitando a aprendizagem dos algoritmos da adição, da subtração, da multiplicação e da divisão. Desperta no aluno a concentração e o interesse, além de desenvolver sua inteligência e imaginação criadora, pois a criança está sempre predisposta ao jogo; permite o estabelecimento de relações de graduação e de proporções, e ajuda a contar e a calcular.
O aluno usa (individualmente) os materiais à medida de sua necessidade, e por ser autocorretivo, faz sua autoavaliação.
Os professores são auxiliares de aprendizagem, logo, pode-se dizer que o sistema, muitas vezes, peca pelo individualismo, embora hoje sua utilização seja feita em grupo.
No trabalho com esses materiais a concentração é um fator importante. As tarefas são precedidas por uma intensa preparação, e, quando terminam, a criança se solta, feliz com sua concentração, comunicando-se então com seus semelhantes, num processo de socialização. A livre escolha das atividades pela criança é outro aspecto fundamental para que exista a concentração e para que a atividade seja formadora e imaginativa. Essa escolha se realiza com ordem, disciplina e com um relativo silêncio. O silêncio também desempenha papel preponderante. A criança fala quando o trabalho assim o exige, a professora não precisa falar alto.
Pés e mãos têm grande destaque nos exercícios sensoriais (não se restringem apenas aos sentidos), fornecendo oportunidade às crianças de manipular os objetos, sendo que a coordenação se desenvolve com o movimento.
Em relação à leitura e escrita, na escola montessoriana as crianças conhecem as letras e são introduzidas na análise das palavras e letras; estando a mão treinada e reconhecendo as letras, a criança pode escrever palavras e orações inteiras.
Em relação à matemática, os materiais permitem o reconhecimento das formas básicas, o estabelecimento de graduações, proporções e comparações e induzem a contar e calcular.

Método Montessori:
educação, vida e educação para a vida.

Fonte: ZACHARIAS, Vera Lúcia Camara. Montessori. Disponível em: ttp://www.centrorefeducacional.com.br/montesso.html>. Acesso em: 01/ junho/ 2010.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_Montessori. Acesso em: 25/05/2010
http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/materias_295179.shtml Acesso em: 25/05/2010

Um comentário:

Prof:Cristina Ramos - geografia disse...

Oi Maria do Carmo !
Obrigada pela visita ao salageo , ficamos muitos satisfeitos que tenha gostado do nosso trabalho. Fique a vontade para dispor do que desejar do nosso espaço .
Um abraço Salageo